Home

 Le-Comptoir-du-Relais_Meg-Zimbeck

A bistronomie, se você nunca ouviu falar, é uma tendência, a marca da “nova cozinha francesa” : comida de bistrot com requintes de gastronomia, praticada por chefs/donos que vieram de restaurantes estrelados e inventaram fórmulas boas e baratas.

Quem começou a história, há aproximadamente 15 anos, foram Yves Camdeborde e Christian Constant, que então trabalhavam juntos no Les Ambassadeurs, no hotel Crillon. Saíram e abriram suas próprias casas.

O Régalade, de Camdeborde, foi instalado em um bairro não-badalado da cidade, o 14 éme, detalhe importante na concepção da tendência. Constant começou com o Violon d’Ingres, e hoje tem mais 3 casas numa mesma rua , a Saint-Dominique, no 7éme.

Outros seguiram a idéia, muitos formados nas cozinhas desses dois generosos chefs, que criaram ‘escola’. Muitas das indicações que darei por aqui, serão desse tipo de restaurante, porque nesses últimos anos, são as minhas escolhas preferidas. Comida ótima, serviço na medida, vinho perfeito , lugar agradável e preço justo. Quer coisa melhor?

Como tudo começou com ele, também vou começar as dicas desses prazeres pelos restaurantes de Camdeborde: o Régalade e o Le Comptoir du Relais, sua casa atual.

O Régalade foi aberto em 1992, considerado por muitos o melhor custo/benefício de Paris. Desde 2004 ele foi comprado pelo chef Bruno Doucet, mas as sugestões do cardápio seguem sendo receitas tradicionais realizadas de maneira moderna, com ingredientes fresquíssimos. As terrines, marca da casa, continuam a ser levadas à mesa nas suas assadeiras, para que o cliente se sirva à vontade, acompanhadas dos cornichons (pepinos em conserva) e mostarda. Tudo delicioso. A visita continua valendo !

Camdeborde abriu o Le Relais Saint Germain em 2005 no Carrefour de l’Odeon. É um hotel com poucos quartos, montado com uma preocupação de passar um clima agradável e familiar. O Comptoir é o restaurante do hotel, aberto para a rua. Funciona desde às 11h da manhã. Para o almoço , que pode ser espichado até às 16,30h (raridade na cidade), não aceita reservas. . Para o jantar, sim, hora em que o chef serve um menu degustação a preço fixo e razoável (40E). Aí, as filas de espera na reserva podem ser para meses.

No almoço, você chega e espera salivando, vendo passar todos aqueles pratos maravilhosos. Vendo da calçada, enfrentando uma pequena fila no aguardo da sua mesa. É bom porque você já vai planejando quais serão as suas escolhas. E isso não é um jeito de ser otimista, é que escolher, já aviso, que não será fácil!
Numa das últimas vezes em que estive no Comptoir, esperei 20 minutos, meia hora, talvez. A pessoa à minha frente na fila fazia uma monitorização por celular. Quando ganhou sua mesa (ao lado da nossa), deu o ok pelo ‘portable’ e seu companheiro chegou. Infelizmente não o reconheci para colocar aqui seu nome, mas percebi pela conversa que era uma entrevista e o ‘ilustre’ era um roteirista de cinema. Se você não tem ‘secretário’ ou guardador de lugar na fila, não desanime em hipótese alguma! Você vai me agradecer, tenho certeza.

Finda a espera, eu escolhi na ciranda dos pratos um clássico do Comptoir: a brandade de morue gratinée, uma preparação tradicional da cozinha do sul da França, que vem a ser uma mistura de bacalhau bem amassadinha, trabalhada com azeite.

Muitas vezes a brandade leva purê de batata e pode ser servida quente ou fria, geralmente fria. A minha era suavemente gratinada ao forno com uma farinha fininha de pão para fazer uma casquinha deliciosa. Chegou megaquente à mesa, acompanhada da salada de minialface romana crocante com um molho gostoso, também marca da casa. Saboreá-la com uma das taças de vinho sugeridas pela maître e organizadora das filas, asseguro, levou-me ao paraíso! Como sobremesa pedi o creme brulée de café.

Na mesma ocasião, passando pelo Comptoir na hora do almoço, tive a sorte de encontrar um lugarzinho vago.  Esperava por mim, e pensei: Por que não? Olhei o cardápio e resolvi pedir o Croque Monsieur de salmão. Tradicional sanduíche de todos os cafés de Paris, aqui era vestido de festa, com salmão defumado, gratinado de queijo comté, enfeitado com uma colherinha de caviar e acompanhado da saladinha de novo. Estava muito gostoso, mas comecei a ficar com raiva de não ter tido coragem de repetir a morue, que eu tinha amado! Pela segunda vez, por que não? Pedi a brandade de morue novamente. Sobremesa não deu, dispensei. Mas saí de lá feliz, muito feliz! E, o melhor, sem esvaziar a carteira!!

Os restaurantes de Camdeborde

La-Regalade, Paris 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

La Regalade
49, avenue Jean-Moulin 14eme
01 45 45 68 58
fecha sab no almoço, domingo e segunda
Métro: Alessia
 Exibir mapa ampliado

 

 Le Comptoir de Relais
9, Carrefour de L’Odeon 6 eme
Tel : 01 43 29 12 05
Aberto todos os dias das 11h às 18h na brasserie.
Jantar com reservas das19h30h às 23h.
Métro : Odéon
Exibir mapa ampliado

No 7eme, os de Christian Constant

Café Constant
139, rue Saint-Dominique
01 47 53 73 34
fecha segunda
Exibir mapa ampliado

Les-Cocottes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Les Cocottes
135, rue Saint-Dominique
01 45 50 10 31
fecha domingo
Exibir mapa ampliado

Les Fables de la Fontaine
131, rue Saint-Dominique
01 44 18 37 55
aberto todos os dias
Exibir mapa ampliado

Le Violon d'Ingres, Paris

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Le Violon d’Ingres
135, rue Saint-Dominique
01 45 50 10 31
fecha domingo
Métro : Ecole Militaire
Exibir mapa ampliado

 _________________________________________________________________________________

 Tanya Volpe é cozinheira. Já fui e fiz muitas coisas. Hoje leio, penso e escrevo sobre comida. Filosofia: Viver não é preciso, mas cozinhar e viajar…

___________________________________________________________________________________

A foto do Le Comptoir du Relais é de Meg Zimbeck, que também escreve sobre viagens e gastronomia no blog Paris and other adventures  (em inglês) 

Anúncios

4 pensamentos em “Bistronomie: comida boa e barata

  1. Tanya, como não vai dar agora para experimentar em Paris as iguarias que você descreveu, que tal passar uma receitinha à sua moda desse bacalhau e do croque monsieur (este já tentei fazer por aqui, mas não sai nada além do nosso bom tostex. Que queijos usar, como preparar?). Eu adoraria, bjs

  2. Nossa! Fiquei pensando nisso mesmo!
    Será que eu seria capaz de fazer?!
    Só se for muito facil, queimo até toxtex!!!
    Adoraria experimentar

    • I have this problem too, cleansing experience lol, you just feel like okay, my shit is gone, moving on. end of.But selling them overtumblr means fans will take care of them. th3e;#y9&ll go to a new home loved.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s